O que é a Lei do Levirato? Ela ainda é Permitida hoje? - Guardei a Fé - Estudos Bíblicos e Mensagens de Deus para Você!

Últimas

27/12/2017

O que é a Lei do Levirato? Ela ainda é Permitida hoje?

A lei do levirato (levir, em latim, significa cunhado). Essa lei, segundo o Antigo Testamento, obriga o cunhado a casar-se com a cunhada, no caso em que ela fique viúva sem ter tido um filho homem (veja Deuteronômio 25,5-10) - tal lei é lembrada também em Mateus 22. Se todavia se o cunhado não quiser casar-se com a cunhada viúva, se realiza um ritual, diante dos anciãos, no qual a mulher tira as sandálias do cunhado dizendo: "É isto que se deve fazer a um homem que não edifica a casa do seu irmão". Praticamente, segundo Deuteronômio, o gesto de tirar as sandálias significa uma privação de posse (o cunhado não tem mais direito sobre a esposa do irmão) e ao mesmo tempo é acompanhado de um gesto de desprezo em relação ao cunhado, que não teria respeitado o seu dever de dar uma descendência ao irmão. De fato, a lei do levirato tem como finalidade principal conservar o nome e Propriedades do falecido.

Em Gênesis 38 nos fala dos filhos de Judá, Er e Onã. Er se casou com uma mulher chama Tamar, mas ele era mau e o Senhor o matou, deixando Tamar sem marido ou filhos. Tamar foi dada em casamento ao irmão de Er, Onã, de acordo com a lei matrimonial do levirato em Deuteronômio 25:5-6.
 
"Se irmãos morarem juntos, e um deles morrer sem filhos, então, a mulher do que morreu não se casará com outro estranho, fora da família; seu cunhado a tomará, e a receberá por mulher, e exercerá para com ela a obrigação de cunhado.
O primogênito que ela lhe der será sucessor do nome do seu irmão falecido, para que o nome deste não se apague em Israel." (Deuteronômio 25:5-6)

Onã não desejou dividir sua herança com nenhum filho que pudesse gerar com Tamar no lugar de seu irmão, e então ele praticou a mais antiga forma de controle de natalidade (coito interrompido). Gênesis 38:10 diz: “E o que fazia era mau aos olhos do Senhor, pelo que também o matou.” A motivação de Onã era egoísta: ele usava Tamar para seu próprio prazer, mas se recusava a fazer seu dever “de irmão” de criar uma herança para seu irmão morto.

Um outro caso de Levirato na Bíblia é na história de Rute. Rute tinha um marido chamado Malon, que faleceu e ela para dar descendência ao marido morto foi tomada como mulher por Boaz.Mas, antes de Boaz, existia um outro parente mais próximo que deveria exercer o papel de resgatador na família. Mas esse resgatador não quis resgatar as propriedades e cumprir o levirato para com Rute, o que fez com que Boaz fosse o resgatador.

“Então, Boaz disse aos anciãos e a todo o povo: Sois, hoje, testemunhas de que comprei da mão de Noemi tudo o que pertencia a Elimeleque, a Quiliom e a Malom; e também tomo por mulher Rute, a moabita, que foi esposa de Malom, para suscitar o nome deste sobre a sua herança, para que este nome não seja exterminado dentre seus irmãos e da porta da sua cidade; disto sois, hoje, testemunhas” (Rute 4:9-10)

A Lei do Levirato também foi Lembrada no Novo Testamentos pelos Saduceus.

“perguntaram-lhe: Mestre, Moisés nos deixou escrito que, se morrer o irmão de alguém, sendo aquele casado e não deixando filhos, seu irmão deve casar com a viúva e suscitar descendência ao falecido…” (Lucas 20:28). 

A Resposta de Jesus foi sobre a Ressureição dos Mortos e que no paraíso não casam e nem se dão em Casamento; deixando assim bem claro que o Casamento se resume apenas a este Mundo... Mas, no Tocante ao Levirato sugerido pelos Saduceus Jesus o Ignorou e nem se quer mencionou se hoje é permitido ou não. Uma vez que foi Instituído pelo Próprio Deus.

"Então, lhes acrescentou Jesus: Os filhos deste mundo casam-se e dão-se em casamento;
mas os que são havidos por dignos de alcançar a era vindoura e a ressurreição dentre os mortos não casam, nem se dão em casamento. Pois não podem mais morrer, porque são iguais aos anjos e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição." (Lucas 20.34-36)

Assim entendendo que o levirato foi praticado principalmente com o objetivo de manter as posses dentro das próprias famílias, como uma espécie de proteção familiar contra pessoas de fora que pudessem casar com viúvas sem filhos e se aproveitar do que o falecido marido tinha conquistado, além, claro, da questão de ser dada descendência em homenagem ao falecido que morreu sem filhos.

Para Finalizar, Jesus nos deu novos mandamentos resumindo toda a lei mosaica nos seus ensinamentos. Logo, a Lei não foi de toda invalidada mas os USOS E COSTUMES do Passado; esses foram! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Your Ad Spot